Kassab recua e mantém 5 refeições por dia em creches de SP

Decisão reduzia para quatro o número de refeições e direção teria que optar por café da manhã ou jantar

Carolina Freitas, Agencia Estado,

17 de setembro de 2009 | 20h21

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), recuou e decidiu manter o número de refeições oferecidas às crianças atendidas por creches municipais. A Secretaria Municipal de Educação divulgou no início da noite desta quinta-feira, 17, uma nota informando que para "tranquilizar as famílias dos alunos", a Prefeitura decidiu manter o volume da merenda escolar.

 

Veja também:

link Kassab desconhecia corte de merenda nas creches de São Paulo

link Prefeitura de SP reduz merenda de alunos de creches

link Secretário alega redução do período letivo de 12 para 10 horas 

 

A redução de cinco para quatro refeições passaria a valer na segunda-feira, 21, e seguiria as diretrizes de um novo contrato firmado na semana passada entre a Prefeitura e fornecedoras de merenda. O contrato previa o corte do café da manhã ou do jantar, dependendo do turno de funcionamento da creche.

 

Segundo a nota, as creches vão "manter a alternativa" de fornecimento de cinco refeições, "observados valores nutricionais recomendados e respeitadas as necessidades específicas dos alunos".

 

O texto diz ainda que a Prefeitura fará uma pesquisa com as famílias das crianças, diretores e equipes escolares sobre os hábitos alimentares dos estudantes. A partir do estudo, a Prefeitura promete implantar programas para suprir carências alimentares e combater a obesidade e a subnutrição.

 

Veja íntegra da nota:

 

Com o objetivo de tranquilizar as famílias dos alunos das creches diretas mantidas pela Prefeitura e como demonstração inequívoca da preocupação com a saúde e bem estar das crianças, a Secretaria Municipal de Educação resolveu adotar as seguintes medidas:

 

1. Manter a alternativa de fornecimento de cinco refeições diárias para as crianças, observados valores nutricionais recomendados e respeitadas as necessidades específicas dos alunos de cada unidade;

 

2. Realizar profunda pesquisa junto às famílias, diretores e equipes escolares para diagnosticar a situação alimentar das crianças no período de convivência com as famílias;

 

3. Divulgar amplamente os resultados da pesquisa e implantar programas, juntamente com outros órgãos da Prefeitura, para solucionar eventuais carências, incluindo informações sobre alimentação equilibrada e sua importância para o desenvolvimento das crianças, sem risco de obesidade ou subnutrição.

 

Assessoria de Comunicação e Imprensa

Secretaria Municipal de Educação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.