Kassab quer indicar sucessor em 2011

Prefeito de SP disse que vai fazer esforços para que escolhido tenha também o apoio do PSDB

Diego Zanchetta, O Estado de S. Paulo

30 Dezembro 2010 | 20h44

SÃO PAULO - Em almoço de final de ano com jornalistas no Bar Dona Onça, no térreo do Edifício Copan, no centro de São Paulo, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) confidenciou que terá de escolher seu candidato à sucessão municipal em 2011, um ano antes da eleição. Kassab descartou escolher algum nome desconhecido. "Tem de ser alguém com experiência em vida pública, que tenha ocupado diversas funções. A sociedade não aceita uma pessoa totalmente nova", afirmou o prefeito.

 

Veja também:

linkKassab tem aprovação de 55% da população paulistana

 

Aluisio Nunes e Afif Domingues seriam nomes fortes, questionou a reportagem do Estado. "Esses já me adiantaram que não querem concorrer. O Afif não quer e o Aluisio também não. Os dois já estão convictos", respondeu o prefeito.

 

Enquanto degustava um steak tartar com batata chips e mostarda, Kassab disse ainda que vai fazer esforços para que seu escolhido tenha também o apoio da cúpula do PSDB. "Nesse caso, seriam apenas dois nomes fortes", analisa o prefeito.

 

No caso, o candidato indicado por ele com o apoio dos tucanos e o do PT, que dá como certa a escolha pelo senador e futuro Ministro da Ciência e Tecnologia Aluisio Mercadante. "Mas se não for possível (a chapa com o PSDB) pode ser igual em 2008. Quem for derrotado apoia o outro no segundo turno, isso é normal", disse o prefeito.

 

O assunto sobre a sucessão veio à tona com o prefeito após comentário de um jornalista sobre o atraso do PSDB na definição de seu candidato presidencial. Enquanto José Serra (PSDB) anunciou sua candidatura em março, a seis meses do pleito, o PT definiu Dilma Rousseff como postulante à sucessão de Luiz Inácio Lula da Silva quase dois anos antes da eleição. Kassab aproveitou para elogiar a postura de Dilma. "Ela não errou até agora", declarou.

Mais conteúdo sobre:
Kassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.