Kassab quer discutir ampliação do rodízio com população de SP

Aprovado em 1º turno na Câmara, projeto de lei ainda precisa passar por segunda votação e sanção do prefeito

07 de dezembro de 2007 | 14h50

Apesar de a Câmara Municipal ter aprovado, em 1º turno, a ampliação do rodízio de veículos, a Prefeitura de São Paulo ainda não considera aumentar as restrições de circulação de veículos na capital paulista. "Estamos aguardando que o projeto seja encaminhado ao Executivo. E só depois de ele ser votado definitivamente vamos nos manifestar. Porém, posso afirmar que não consideramos a hipótese de ampliação", afirmou o prefeito Gilberto Kassab na manhã desta sexta-feira, 7, em entrevista coletiva.  Veja também: Câmara aprova ampliação do rodízio de veículos em SP'Número de carros aumentará'De olho na reeleição, Kassab não sabe se sancionará lei  Na quinta-feira, 6, a Câmara aprovou o projeto de lei que institui restrição de circulação em todos os dias da semana e amplia a proibição para todo o território da capital. O projeto de lei criado pelo vereador Ricardo Teixeira (PSDB), também divide o rodízio em dois. O rodízio valeria nos horários de pico, das 7 horas às 8h30 para placas ímpares e das 8h31 às 10 horas para placas pares. No período da tarde, o esquema funcionaria para placas ímpares, das 17 horas às 18h30, e pares, das 18h31 às 20 horas. Atualmente, apenas 20% da frota fica impedida de circular diariamente no centro expandido. A cada dia da semana, dois finais de placas estão proibidos de sair da garagem. Com a mudança, segundo o vereador, o número de veículos impedidos de rodar aumentaria em 30 pontos porcentuais. Mas especialistas contestam o cálculo.  De acordo com o prefeito da capital paulista, "se algum dia chegarmos à conclusão que precise dessa ampliação, não há porque, com total transparência, mostrar à cidade, discutir a questão. No momento não está sendo discutido, não está sendo considerada." Na opinião do prefeito, a falta de transporte coletivo em são Paulo obriga as pessoas a usarem o transporte individual "e por isso temos que ter muito respeito e cuidado com as decisões para que elas sejam adotadas para resolver o problema". Kassab acredita que a segunda votação na Câmara seja feita ainda este ano "e com muito cuidado vamos justificar nossa posição. No momento não existe nenhuma consideração por parte da Prefeitura em relação ao rodízio. Nenhuma alteração será feita de uma maneira brusca sem debater com muita transparência", garante.

Tudo o que sabemos sobre:
rodízio de veículosKassab

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.