JF Diorio/AE
JF Diorio/AE

Kassab prestigia evento sem alvará

Prefeito visita exposição em imóvel no Alto de Pinheiros que teve pedido de autorização negado na semana passada e virou alvo de críticas de vizinhos

BRUNO RIBEIRO , J. F. DIÓRIO, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2012 | 03h04

Alheio à polêmica que cerca a Mostra Black, evento de decoração que abre amanhã para o público no Alto de Pinheiros mesmo sem ainda ter obtido alvará, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) visitou na noite de ontem sua festa de abertura.

Durante os cerca de 15 minutos em que permaneceu na festa na zona oeste, Kassab percorreu parte dos 5 mil metros quadrados do espaço e posou para fotos ao lado de arquitetos convidados, como Sig Bergamin, Raquel Silveira e Renata Seripieri.

O som da festa foi abaixado pouco antes de o prefeito aparecer. Depois de distribuir cumprimentos e sorrisos, já com a porta do carro aberta, Kassab deu entrevista ao Estado e mostrou desconhecer a falta do documento que libera a mostra. "Hoje não é a abertura. Foi só uma festa para arquitetos e convidados. É evidente que, se não tiver alvará, a mostra não vai abrir ", disse Kassab, acrescentando que a festa de ontem não foi um ato ilegal e, por isso, a organização não será multada. "Hoje (ontem) não precisava."

O prefeito foi entrevistado ao lado do presidente da São Paulo Turismo (SPTuris), Marcelo Rehder, que disse acreditar que a situação da mostra estava em ordem. Mas, anteontem, a Assessoria de Imprensa da Subprefeitura de Pinheiros informou que o pedido de alvará feito pela organização do evento havia sido indeferido na quinta-feira. Na sexta, os organizadores fizeram um pedido de reconsideração, alterando o endereço da mostra, que ainda deve ser analisado. Mesmo assim, mantiveram a festa de inauguração, para revolta de vizinhos que dizem que a área é residencial é não deve comportar eventos do tipo.

"Hoje já teve muitos carros aqui, fila, trânsito. Isso incomoda muito", disse uma moradora do bairro que procurou a reportagem no fim da tarde de ontem para se queixar dos transtornos da festa. A expectativa da organização é de que a casa receba 500 pessoas por dia durante a mostra.

O imóvel da Black fica na esquina da Avenida Professor Fonseca Rodrigues com a Rua Orobó. No pedido de reconsideração, organizadores alteraram a entrada do evento da Orobó para a Fonseca Rodrigues.

Sem valet. Para diminuir a briga com a vizinhança, também informaram ao público que não oferecerão mais serviços de valet. A orientação aos visitantes é ir de táxi ou deixar o automóvel no Shopping Villa-Lobos ou em estacionamentos próximos. Os ingressos custam R$ 100. A Mostra Black está marcada para ocorrer até o dia 24 de junho.

O Estado tentou falar ontem com a organização do evento, mas os funcionários na porta disseram que todos os organizadores já haviam ido embora e eles não tinham seus celulares. "Passaram 4 mil pessoas por aqui hoje (ontem)", disse um deles.

Tudo o que sabemos sobre:
kassabalvarámostra blackpinheiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.