Kassab libera Parada Gay mais um ano na Paulista

Mais disputado "palco" da cidade, a Avenida Paulista terá três eventos neste ano: a 16.ª Parada do Orgulho LGBT - agendada para 10 de junho com o tema "Homofobia tem cura: educação e criminalização!" -, a Corrida de São Silvestre e a festa de réveillon, com show e queima de fogos na virada do dia 31 de dezembro. Todos têm estruturas fixas, como palcos, grades e postos que precisam ser montados e desmontados, bloqueando o trânsito e atraindo milhares de pessoas de participantes.

O Estado de S.Paulo

13 de janeiro de 2012 | 03h02

Os eventos foram autorizados por despacho do prefeito Gilberto Kassab (PSD), publicado ontem no Diário Oficial da Cidade. Desde 2007, por força de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) firmado pela Prefeitura com o Ministério Público Estadual (MPE), a gestão municipal é obrigada a divulgar previamente a programação anual de eventos cívicos, culturais e esportivos agendados para a Paulista com duração prolongada. E definir quais deles precisarão de um esquema especial de trânsito, com bloqueios do fluxo de tráfego no local e no entorno.

A Parada Gay, por exemplo, dura cerca de seis horas e atrai público de cerca de 4 milhões de pessoas, segundo a organização. O réveillon também dura cerca de seis horas e reúne 2 milhões.

As marchas e protestos que passaram pela Paulista no ano passado - como a polêmica Marcha da Maconha - e precisaram de reforço improvisado de marronzinhos para controlar o trânsito e de acompanhamento policial não aparecem na listagem da Prefeitura. No fim do ano passado, as visitas à decoração de Natal do palco suspenso montado na Paulista e dos prédios da avenida também levaram a CET a interromper o trânsito de veículos durante horas. Mas a festa natalina não foi mencionada no despacho.

A Marcha para Jesus, da Igreja Renascer em Cristo, também não está entre as autorizadas. Mas o apóstolo Estevam Hernandes não considera isso um problema. "Não temos mais feito pedidos junto à Prefeitura. Acreditamos que a região não comporta mais o número de pessoas que a Marcha reúne. No ano passado, por exemplo, tivemos mais de 5 milhões de pessoas na Marcha, realizada na nona norte", conta. "Esse é um público muito grande para a região da Paulista. Em 14 de julho deste ano, em acordo com a Prefeitura, vamos realizar novamente a Marcha na zona norte, saindo da Estação Tiradentes e terminando na Praça Campo de Bagatelle." / F.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.