Kassab lamenta uso de violência em manifestação nesta manhã

Carro onde estava prefeito foi atacado por manifestantes depois de missa na Catedral da Sé

Anne Warth, Agência Estado

25 de janeiro de 2012 | 16h01

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), lamentou há pouco as manifestações desta manhã no centro da capital paulista contra as ações do governo estadual para desocupar o terreno da comunidade do Pinheirinho, em São José dos Campos (SP), e da prefeitura paulistana na região da Cracolândia.

Kassab disse compreender os protestos, mas condenou o uso de violência de parte dos manifestantes que cercaram e atacaram no carro do prefeito na saída da Catedral de Sé, onde foi celebrada uma missa em comemoração aos 458 anos de São Paulo. "Estamos vivendo um período democrático e temos de ter compreensão com as manifestações, mas lamentamos o uso de violência que não é o melhor caminho", disse Kassab.

Para o prefeito, é normal que existam pessoas que não concordem com as ações do governo e da prefeitura na região central da cidade, conhecida como Cracolândia, mas reiterou que o diálogo é a melhor alternativa para discutir ações públicas. "Quem está na vida pública, sabe compreender até mesmo ações violentas, indevidas e de falta de respeito, mas tudo isso depõe contra os argumentos de quem protesta", disse.

O prefeito afirmou que o objetivo da polícia na Cracolândia é reprimir e enfrentar o crime e os traficantes. A prioridade, de acordo com ele, é encaminhar os dependentes químicos para a assistência social e para tratamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.