Kassab indicou aliados em 2012

Os conselhos de administração das oito empresas da Prefeitura de São Paulo (CET, Cohab, Prodam, SPObras, SPP, SPTrans, SPTuris e SPUrbanismo) viraram fonte de renda para políticos e aliados do prefeito Gilberto Kassab (PSD) na última gestão, como Estado mostrou em março de 2012. Pelo menos 60% dos 57 conselheiros, que recebiam salários de R$ 6 mil por uma reunião mensal, eram filiados ou tinham ligação com algum partido. O pagamento dos jetons custa R$ 2,3 milhões por ano aos cofres municipais.

O Estado de S.Paulo

03 Janeiro 2013 | 02h01

A maior parte dos envolvidos integrava a base de apoio de Kassab ou estava na aliança costurada pelo prefeito para concorrer nas eleições municipais de 2012. O quadro de conselheiros foi renovado porque, desde o início do ano, 16 secretários haviam saído da lista dos jetons.

No lugar deles, Kassab colocou aliados de diferentes vertentes, de evangélicos a líderes da Força Sindical e novos filiados ao seu partido, o PSD. Mas o partido que mais aparecia nos quadros das empresas municipais era o PSDB - destacando que Kassab apoiou José Serra (PSDB) para concorrer à Prefeitura.

Vários nomes da ala serrista do partido constavam na lista. Entre eles estavam os ex-secretários de Serra na Prefeitura Clóvis de Barros Carvalho e Manuelito Pereira Magalhães Júnior e o ex-governador Alberto Goldman. Outros exemplos eram o ex-secretário da Prefeitura e do governo estadual Francisco Vidal Luna, e o ex-assessor do Ministério da Saúde e amigo pessoal de Serra Benedito Nicotero Filho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.