Kassab diz que pode rever Parque da Independência para festa da CUT

Vizinhança entrou com representação no MP para barrar festa por dificultar acesso aos hospitais da região

Wladimir D'Andrade, Agência Estado

11 de abril de 2011 | 13h20

SÃO PAULO - O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, admitiu nesta segunda-feira, 11, que pode rever a escolha do Parque da Independência como local para a realização da festa do Dia do Trabalho, em 1º de maio, da Central Única dos Trabalhadores (CUT). Um grupo de moradores do Ipiranga, na zona sul da capital paulista, ingressou com representação no Ministério Público (MP) Estadual que pede a transferência do evento para outro lugar.

 

Veja mais:

linkMoradores do Ipiranga tentam barrar 1º de maio

 

No documento, eles argumentam que a festa levará à interdição da Avenida Nazaré, com o isolamento de dois hospitais da região: o Ipiranga e o São Camilo. "Essa questão precisa ser esclarecida à população e também a Prefeitura de São Paulo vai checar os dados novamente", afirmou, após o lançamento da campanha Virada sem Lixo, para melhorar a coleta de resíduos durante a Virada Cultural, no próximo fim de semana.

 

"Nós precisamos ver a dimensão da festa e colocá-la onde for compatível. Vamos encontrar um espaço adequado", ressaltou o prefeito, que afirmou ainda que a Prefeitura vai privilegiar o diálogo com os moradores. "O diálogo é a marca da CUT e da Prefeitura e vamos encontrar um resultado comum a todos." Kassab destacou que nenhum evento na capital paulista será autorizado sem que passe pelo aval de todas as áreas da Prefeitura. "Nos grandes eventos que ocorrem na cidade, a Prefeitura tem procurado o Ministério Público Estadual e feito Termo de Ajuste de Conduta (TAC) com os organizadores desses eventos", disse.

 

Segundo o prefeito, tem sido rotina eventos de pequeno e médio portes no Parque da Independência, mas o que a Prefeitura deve fazer é averiguar se a festa da CUT é compatível com aqueles que são realizadas no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.