Kassab diz que desconhece, mas 'apoia' investigação sobre fraude na Prefeitura

Quatro servidores municipais foram presos nesta quarta acusados de integrar quadrilha que desviou até R$ 500 milhões em São Paulo durante a gestão do ex-prefeito

O Estado de S. Paulo

30 de outubro de 2013 | 11h57

SÃO PAULO - A assessoria de imprensa de Gilberto Kassab afirmou que o ex-prefeito de São Paulo desconhece a investigação que prendeu, nesta quarta-feira, 30, quatro servidores públicos suspeitos de operar um esquema que desviou até R$ 500 milhões durante a sua gestão. Segundo as investigações, os funcionários cobraram propina para liberar empreendimentos imobiliários na capital entre 2007 e 2012 - Kassab ficou à frente da Prefeitura entre 2006 e 2012.

A nota afirma que Kassab, atual presidente nacional do PSD, "apoia integralmente" a apuração e defende a "punição exemplar" dos envolvidos caso comprovadas irregularidades.

O comunicado frisa que o ex-prefeito, quando chefiava a administração municipal, encaminhou à Corregedoria-Geral do Município e ao Ministério Público as denúncias que chegaram até ele.

A assessoria de Kassab ressalva que ele procurou dar transparência ao Executivo nos seus mandatos e deu autonomia aos secretários para montar as respectivas equipes.

Veja a íntegra da nota oficial:

"O presidente nacional do PSD e ex-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, embora desconheça a investigação em curso na Secretaria das Finanças, apoia integralmente a apuração e, se comprovada qualquer irregularidade, defende a punição exemplar de todos os evolvidos.

O ex-prefeito de São Paulo, como é de conhecimento público, quando alertado sobre qualquer suspeita, mesmo que por denúncia anônima, encaminhou para apuração da Corregedoria-Geral do Município e ciência do Ministério Público, com qual manteve total colaboração.

A gestão Kassab sempre se pautou pela correção na administração da máquina pública e transformou as ferramentas de transparência numa política de governo, permitindo que todos os paulistanos tivessem acesso a contratos de obras, serviços e iniciou a implantação do sistema de licenciamento eletrônico, cujo objetivo final era permitir que qualquer interessado pudesse acompanhar em tempo real a tramitação de projetos de reforma e construção na cidade de São Paulo.

Durante a gestão, o ex-prefeito de São Paulo deu total autonomia aos secretários de Estado para montar as suas respectivas equipes e tem certeza que todos se colocarão à disposição das autoridades competentes para colaborar com as investigações e esclarecer todas as dúvidas existentes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.