Kassab destaca Cidade Limpa em cúpula de prefeitos

Evento reúne grandes metrópoles para discutir sobre mudanças climáticas

Daiene Cardoso e Circe Bonatelli, Agência Estado

01 de junho de 2011 | 14h48

SÃO PAULO - No primeiro dia da cúpula C40, reunião das grandes metrópoles sobre mudanças climáticas, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, destacou como grande feito de sua administração na área ambiental a Lei Cidade Limpa. A legislação, implementada em 2007, limita a publicidade externa nos prédios do município. "São Paulo era a cidade visualmente mais poluída do mundo e passou a ser a menos poluída", disse Kassab.

Enquanto o prefeito paulistano citava sua principal bandeira de gestão, o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, afirmou que um dos maiores problemas das grandes metrópoles de hoje é o transporte público. Questionado por jornalistas sobre as semelhanças entre São Paulo e Nova York para lidar com problemas de mobilidade, Bloomberg defendeu que o transporte público precisa ser mais eficiente e ambientalmente correto.

Para o prefeito de Nova York, "não dá para ter mais ruas", e a prioridade das administrações deve ser colocar em circulação mais ônibus e metrô e oferecer meios para transportes alternativos. "Se você constrói mais transporte de massa, o público o usará", disse Bloomberg.

Durante entrevista à imprensa, o prefeito da cidade australiana de Melbourne, Robert Doyle, citou como exemplo um projeto que isenta os passageiros de pagamento de tarifa se eles utilizarem o transporte público nas primeiras horas da manhã, até as 7 horas, para estimular as pessoas a utilizar o transporte público.

Os prefeitos e representantes das grandes cidades concordaram que é preciso se unir para tratar os problemas em comum, como transporte, segurança e trânsito. Hoje foi anunciado uma parceria com o Banco Mundial para financiamento de projetos verdes nestes setores. Michael Bloomberg comemorou o acordo e ressaltou a importância dos prefeitos na condução de projetos que possam melhorar a condição de vida nas cidades e orientar a população sobre o aquecimento global. "É nosso papel liderar a população para esta mudança", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.