Kassab: culpa por enchentes é de crescimento desordenado

"A população pode ficar tranquila, pois os investimentos continuarão acontecendo", afirma o prefeito

Gabriel Vituri, do estadao.com.br,

21 Janeiro 2010 | 13h22

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), voltou a defender os investimentos da prefeitura e afirmou que a culpa dos transtornos causados pelos alagamentos desta quinta-feira, 21, é do crescimento desordenado e da impermeabilização da cidade. Segundo ele, as chuvas em excesso foram responsáveis pelas enchentes e que, por parte da administração municipal, não houve falhas, já que os investimentos previstos têm sido feitos.

 

Veja também:

forum Vote na enquete: De quem é a culpa pelas enchentes?   

mais imagens Galeria de fotos do caos na cidade

som Eldorado: Ouça a íntegra da entrevista de Gilberto Kassab 

 

"Mais uma vez, o que causou os alagamentos na cidade de São Paulo foi não só o excesso de chuva, mas também o crescimento desordenado da cidade e a impermeabilização excessiva", afirmou o prefeito em entrevista coletiva esta manhã.

 

Kassab ainda citou as obras em Aricanduva e Pirajuçara para exemplificar investimentos que deram bons resultados: "Nessa chuva, não tivemos problemas nas duas bacias que sempre foram muito castigadas pelos alagamentos."

 

O prefeito alega que a quantidade de córregos e rios presentes na capital, além da ocupação sem planejamento, é o principal motivo das enchentes. Para ele, os investimentos são necessários, pois permitem que falhas naturais da cidade sejam corrigidas.

 

Sobre o receio de novas chuvas e mais alagamentos, Kassab garante: "A população pode ficar tranquila, pois os investimentos continuarão acontecendo". Perguntado sobre o procedimento enquanto as obras previstas não são concluídas, Gilberto Kassab afirma que o mapeamento das áreas de risco é fundamental para que os investimentos sejam direcionados e os problemas solucionados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.