Kassab agora aposta no Piritubão para receber congresso da Fifa

Novo centro de convenções que Prefeitura quer criar na zona norte terá edital lançado no 2º sem

Cida Alves, Diego Zanchetta e Rodrigo Burgarelli, O Estado de S. Paulo

13 Julho 2011 | 16h25

SÃO PAULO - A aposta da Prefeitura de São Paulo para realizar o Congresso da Fifa - que, por regra, acontece sempre na cidade de abertura - é um antigo conhecido das manchetes esportivas: o Piritubão, terreno na zona norte cogitado no início do ano para receber o estádio de abertura da Copa do Mundo de 2014. O novo centro de convenções que a Prefeitura quer criar na zona norte da cidade deverá ter seu edital de licitação lançado no segundo semestre deste ano. A previsão é que a primeira fase das obras, que contempla 160 mil m² de área útil, custe R$ 1,1 bilhão e esteja pronta até 2013.

 

"O congresso dá uma visibilidade gigantesca à cidade e não queremos perder essa chance", diz o secretário municipal de desenvolvimento econômico, Marcos Cintra. O Piritubão será feito por meio de uma Parceria Público Privada (PPP) e deverá custar R$ 3 bilhões no total. As fases dois e três da construção deverão começar apenas após o término da Copa do Mundo de 2014. O planejamento da Prefeitura é que tudo esteja pronto para que São Paulo seja sede da Expo 2020, daqui a 9 anos.

 

Kassab (sem partido) aproveitou a cerimônia de inauguração do 6º Salão do Turismo, na manhã de hoje no Parque Anhembi, para anunciar que na próxima semana deve ser publicado o edital para a construção de um centro de convenções e eventos em Pirituba, conhecido como Piritubão. "Será o maior centro de eventos de São Paulo, com 5 milhões de m². Só o pavilhão terá uma área cinco vezes maior que a do Anhembi", disse o prefeito.

 

Sobre a realização da abertura da Copa do Mundo de 2014 em São Paulo, Kassab adiantou que, do ponto de vista político, a decisão já está tomada. "Agora só nos falta cumprir alguns rituais burocráticos", disse. Em outra cerimônia no Palácio dos Bandeirantes no mesmo momento, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) admitiu ter recebido na terça-feira ligações de Ricardo Teixeira, Orlando Silva e Andres Sanchez. Mas não quis revelar o teor.

 

Divulgação. Com a confirmação da capital como sede da abertura da Copa, o governo municipal também quer aumentar a divulgação da cidade em outros estados e fora do país. Ontem a SPTuris fez aditivos de R$ 30 milhões nos contratos mantido desde 2009 com as agências de propaganda Propeg e Lew Lara, duas gigantes do setor. Ao todo as duas agências vão receber R$ 60 milhões para fazer campanhas publicitárias sobre a capital.

 

Na peça mais recente produzida pela Propeg e que deve ser veiculada em oito estados, é divulgada a reforma do Teatro Municipal. "Depois do Museu do Futebol e da Biblioteca Mário de Andrade, agora São Paulo ganha a restauração de um de seus maiores monumentos", divulga a propaganda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.