Justiça suspende reintegração de posse do Cine Marrocos

Mandado foi recolhido a pedido da Prefeitura de São Paulo, que negocia para que desocupação do imóvel seja feita em etapas

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

07 Agosto 2016 | 18h20

SÃO PAULO - A Justiça suspendeu a reintegração de posse do prédio do Cine Marrocos, que foi alvo de uma megaoperação da polícia contra o tráfico de drogas na região central na última sexta-feira. A reintegração estava prevista para ocorrer até 1º de junho deste ano.

O mandado foi recolhido pelo juiz Emílio Migliano Neto, do Foro Central da 7ª Vara de Fazenda Pública, a pedido da Prefeitura, que é dona do imóvel e realiza um acordo com o Movimento Sem-Teto de São Paulo (MSTS) para que a desocupação seja realizada em etapas.

"O juiz retirou qualquer obrigação da Polícia Militar em apoiar os Oficiais de Justiça na reintegração de posse até nova manifestação judicial", informou a Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo, em nota.

Na operação realizada na semana passada, a Justiça expediu 27 mandados de prisão e 39 de busca e apreensão. A polícia prendeu 32 pessoas – 5 em flagrante por tráfico.

As investigações apontaram que líderes do Movimento Sem Teto de São Paulo (MSTS) agiam em parceria com o Primeiro Comando da Capital (PCC) para consolidar o tráfico de drogas na Cracolândia, no centro da cidade. Havia armas, drogas e munição no Cine Marrocos.

Mais conteúdo sobre:
SÃO PAULO Cine Marrocos Cracolândia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.