Reprodução Google Street View
Reprodução Google Street View

Justiça solta PM que dirigia embriagado e matou bebê em Itatiba

Policial chegou a ser preso em flagrante, mas foi liberado; recém-nascida que morreu tinha apenas 9 dias 

Ana Paula Niederauer, O Estado de S.Paulo

02 de janeiro de 2020 | 12h48

SÃO PAULO - O policial militar Robson Fabiano Gabriel, de 47 anos, acusado de causar o acidente que resultou na morte de uma bebê recém-nascida, na madrugada de réveillon, em Itatiba, no interior de São Paulo, foi solto após audiência de custódia mediante o pagamento de fiança no valor R$4 mil.

Além disso, o Tribunal de Justiça determinou recolhimento domiciliar no período noturno, proibição de ausentar-se da comarca por período superior a 10 dias sem autorização do Juízo, devendo, ainda, manter seu endereço atualizado nos autos.

O acidente ocorreu por volta da 1h de quarta-feira, 1º, na Rua Angelina Zuparto Carneiro, Jardim Santa Filomena, em Itatiba.

O PM Gabriel foi preso em flagrante e encaminhado ao Presídio Militar Romão Gomes, em São Paulo, mas foi liberado.

Segundo o boletim de ocorrência, o policial apresentava sinais de embriaguez quando atingiu dois veículos que estavam estacionados no local, um Celta branco e uma Saveiro prata. 

No Celta branco tinham três pessoas, sendo duas crianças, uma de nove dias e a outra de três anos, que ficaram machucadas e foram socorridas à Santa Casa de Itatiba. No entanto, a bebê recém-nascida não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital.

Foram solicitados exames periciais e o caso, registrado como lesão corporal culposa (quando não há intenção de cometer o crime) na direção de veículo automotor e embriaguez ao volante na Delegacia de Itatiba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.