Justiça solta 14 suspeitos de ligação com o PCC

A Justiça mandou soltar 14 criminosos considerados de alta periculosidade e apontados como integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Eles são condenados por homicídios, tráfico de drogas e roubos, entre outros delitos. O bando foi preso com 30 quilos de cocaína em julho de 2009, na zona sul da capital, por policiais da Rota. Mas tiveram a prisão relaxada porque testemunhas, incluindo PMs, faltaram às audiências.

Josmar Jozino, O Estado de S.Paulo

11 de agosto de 2010 | 00h00

Dos 14 réus, dois continuam presos porque eram foragidos do sistema prisional. Segundo o promotor de Justiça Valdir dos Reis Júnior, da 6.ª Promotoria, o processo tem 14 réus e pelo menos 40 testemunhas. Geralmente, quando alguém falta, a audiência é adiada e a próxima só pode ser marcada num período de pelo menos 60 dias.

Reis Júnior afirmou ainda que o número de testemunhas era tão grande que as sessões tiveram de ser realizadas num dos plenários do Júri do Fórum Ministro Mário Guimarães, na Barra Funda, zona oeste. As faltas nas audiências fizeram as instruções judiciais atrasarem e os advogados dos réus pleitearem o relaxamento da prisão - porque os acusados já estavam presos havia nove meses. A reportagem procurou a PM para saber das faltas, mas não recebeu resposta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.