Justiça reduz pena de co-autora de chacina de Batatais

Após sete horas de julgamento, o júri diminuiu a sentença de 22 anos e 3 meses de reclusão para 20 anos

Brás Henrique, do Estadão,

23 de novembro de 2007 | 17h31

Edna Emília Milani, de 26 anos, co-autora da chacina de cinco pessoas da família Faccion, ocorrida em março de 2002, em Batatais, na região de Ribeirão Preto, teve a sua pena reduzida em dois anos e três meses, no julgamento realizado na quinta-feira, 22. Ela foi julgada novamente apenas por um dos crimes, contra a menina Thalia Faccion, que tinha 3 anos, pois a pena tinha sido de 22 anos e 3 meses de reclusão. Após sete horas de julgamento, o júri diminuiu a sentença para 20 anos neste ano. Somando-se todas as condenações, Edna foi condenada a 130 anos de prisão e voltou ao presídio onde cumpre a pena, em Tremembé. A juíza do caso foi Adriana Gatto Martins e a sessão terminou no final da tarde. O promotor Eduardo Pereira de Souza Gomes e a defesa de Edna irão recorrer da decisão ao Tribunal de Justiça (TJ), de São Paulo. Edna era namorada do pintor de paredes Carlos Fabiano Faccion. Por seus familiares serem contrários ao romance, ambos e um menor chacinaram cinco pessoas da família Faccion (os pais, uma adulta grávida e duas crianças, além de que outras duas crianças ficaram gravemente feridas e com seqüelas). Faccion foi condenado a 140 anos de prisão e cumpre pena em Balbinos.

Tudo o que sabemos sobre:
BatataisChacina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.