Divulgação
Divulgação

Justiça ouve 15 sobre caso de estupro de estudante na USP

Aluno de Medicina acusado pelo crime depôs nesta terça-feira em Ribeirão Preto; processo corre em segredo

Rene Moreira, Especial para O Estado

24 Fevereiro 2015 | 20h48

FRANCA - A Justiça já ouviu 15 pessoas sobre o caso de estupro de uma estudante de 19 anos do curso de Medicina dentro do câmpus de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (USP). O envolvido, um aluno de 21 anos do mesmo curso da jovem, depôs nesta terça-feira, 24, na própria cidade.

Na frente do Fórum, um grupo de feministas protestou contra os casos de violência sexual na universidade e cobrou rigor nas apurações. O estupro teria ocorrido em agosto do ano passado, após a vítima terminar um namoro com o rapaz, que inconformado a violentou em uma trilha. O processo corre em segredo de Justiça - não foi divulgado o teor do depoimento dele e o da aluna, que já havia sido ouvida.

De acordo com o juiz Sylvio Ribeiro de Souza Neto, a sentença deve sair em abril. O estudante parou de frequentar as aulas após a denúncia, enquanto que a jovem envolvida continua na Faculdade de Medicina, onde recebeu apoio psicológico e médico, segundo a diretoria da instituição.

Apuração. A denúncia ganhou repercussão após ser apresentada na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa de São Paulo, que investiga os casos de abusos nas universidades paulistas. Internamente, a USP informou também ter aberto uma sindicância para apurar o ocorrido.

O estudante chegou a ficar internado e detido na ala psiquiátrica do Hospital das Clínicas, que fica dentro da própria universidade, mas hoje responde ao processo em liberdade.

 

Mais conteúdo sobre:
estupros na USP USP Ribeirão Preto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.