Justiça nega pedido de progressão de regime a Suzane von Richthofen

Juíza diz que pedido já foi analisado antes e que 'interessada deverá aguardar julgamento do recurso'

Priscila Trindade , Central de Notícias

14 de abril de 2011 | 08h17

SÃO PAULO - A 1ª Vara das Execuções Criminais de Taubaté, em São Paulo, negou novamente, na quarta-feira, o pedido de progressão de regime prisional de Suzane von Richthofen, acusada de participar do assassinato dos pais Marísia e Manfred von Richthofen. O crime aconteceu em 2002, na casa onde as vítimas moravam.

 

Segundo a juíza Sueli Zeraik de Oliveira Armani, este é um pedido que já foi analisado. Em sua decisão, a magistrada concluiu que "deverá a interessada aguardar o julgamento de seu recurso, como de rigor e necessário".

 

Suzane von Richthofen foi condenada em 2007 a 39 anos de prisão. Ela também foi considerada indigna de receber a herança pela 1.ª Vara de Família e Sucessões de Santo Amaro. A indignidade é uma sanção civil aplicada ao herdeiro que tem conduta injusta com quem iria transmitir a herança. A ação foi movida pelo irmão de Suzane, Andreas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.