Justiça nega liberdade ao pai de Bernardo

O desembargador Nereu José Giacomolli, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, negou ontem pedido de habeas corpus em favor do médico Leandro Boldrini, suspeito de envolvimento na morte do filho, Bernardo. A defesa argumenta que Graciele Ugulini, mulher de Boldrini e madrasta de Bernardo, inocentou o médico em depoimento. O magistrado sustentou que "não há como serem afastadas as fundadas razões de autoria ou participação" do pai no crime. A prisão expira no dia 13.

O Estado de S.Paulo

07 Maio 2014 | 02h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.