Justiça nega liberdade a ex-secretário suspeito de pedofilia

Januário Renna, de Sorocaba, foi flagrado dentro da suíte de um motel em companhia de três meninas

Fabiana Marchezi, da Central de Notícias,

20 de agosto de 2009 | 13h26

A Justiça de São Paulo negou nesta quinta-feira, 20, o pedido de relaxamento de prisão feito pelo advogado do ex-secretário de Administração de Sorocaba, Januário Renna.

 

Renna foi detido no último sábado, 15, por agentes do Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic), ao ser flagrado dentro da suíte de um motel em companhia de três meninas. Ele foi autuado por submeter, induzir ou atrair à prostituição alguém menor de 18 anos.

 

Se condenado, o ex-secretário poderá pegar de quatro a dez anos de prisão. O flagrante ocorreu em um motel no quilômetro 28 da Rodovia do Açúcar. As adolescentes, com idades entre 14 e 15 anos, contaram que receberiam cada uma R$ 100 para fazer sexo com Renna.

Tudo o que sabemos sobre:
pedofiliasorocabaJanuário Renna

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.