Justiça Militar mantém soldado na prisão

O Superior Tribunal de Justiça Militar (STM) negou habeas corpus ao soldado do Exército J.G.S., acusado de participar do furto de balas de fuzis e pistolas, munição para blindados e granadas. O soldado teria ajudado um grupo a invadir o quartel do 13.º Regimento de Cavalaria, em Pirassununga (SP). O Exército cercou a região. Três dos acusados foram mortos em uma chacina. A munição foi recuperada.

O Estado de S.Paulo

13 Outubro 2012 | 03h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.