NILTON FUKUDA/ESTADAO
NILTON FUKUDA/ESTADAO

Justiça decreta prisão de 2 PMs envolvidos em morte de universitário

Eduardo Correa Barbosa e Amanda Grazielle Dias Nunes estão detidos desde segunda-feira; carro foi alvejado 15 vezes

Alexandre Hisayasu, O Estado de S.Paulo

05 Julho 2016 | 15h15

SÃO PAULO - A Justiça Militar decretou a prisão preventiva de dois policiais militares que participaram da perseguição que terminou na morte do universitário Júlio César Alvez Espinoza, de 24 anos. Os PMs Eduardo Correa Barbosa e Amanda Grazielle Dias Nunes estão presos desde esta segunda-feira, 4. 

O crime aconteceu na madrugada de terça-feira, 28. Espinoza não obedeceu a uma ordem de parada de uma viatura da PM, no Ipiranga, na zona sul da capital paulista, e fugiu em alta velocidade. A perseguição passou por São Caetano do Sul, no ABC Paulista, e terminou na zona leste, quando ele bateu o carro na cancela de uma empresa.

Durante o trajeto, policiais militares e guardas-civis municipais de São Caetano atiraram pelo menos 15 vezes contra o carro do universitário. Ele morreu com um tiro na cabeça. 

Os policiais e os GCMs afirmaram na delegacia que Espinoza atirou contra eles e apresentaram um revólver calibre 38 e dois papelotes de cocaína supostamente apreendidos no carro. A família de Spinoza afirmou que ele não andava armado e nem usava drogas. Ele fugiu da blitz porque o carro estava com multas vencidas, segundo eles.

O caso é investigado pela Corregedoria da PM e pelo Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.