Justiça mantém Anna Cintra na reitoria da PUC

A Justiça manteve, por ora, a professora Anna Maria Marques Cintra como reitora da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Depois de cancelar a nomeação na semana passada, Anderson Cortez Mendes, juiz da 4.ª Vara Cível Central, acolheu anteontem recurso da universidade e suspendeu os efeitos da decisão anterior. O processo agora vai para a segunda instância. Mendes ainda decidiu que os atos já tomados pela reitora continuam sendo válidos.

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

09 de agosto de 2013 | 02h04

Após a decisão ser conhecida, cerca de 50 alunos fizeram uma manifestação na frente da reitoria da PUC-SP por volta das 20h de ontem.

A ação que afastou a reitora foi proposta pelo Centro Acadêmico 22 de Agosto, sob o argumento de que a Fundação São Paulo, mantenedora da PUC-SP, violou processo hierárquico na nomeação ao ignorar o Conselho Universitário (Consun).

Terceira colocada na eleição, Anna Cintra foi nomeada em novembro de 2012 pelo grão-chanceler da PUC, d. Odilo Scherer. Pelas regras, cabe a ele escolher um dos três nomes da lista. Mas, ao ignorar tradição de nomear o primeiro, iniciou uma crise. Após a nomeação, o Consun decidiu pelo cancelamento da lista tríplice aprovada em setembro pelo próprio conselho, como forma de inviabilizar a nomeação. Esse ato foi ignorado pela fundação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.