Reinaldo Aro/PM Murutinga do Sul
Reinaldo Aro/PM Murutinga do Sul

Justiça manda soltar prefeito preso por depositar lixo em aterro interditado

Gilson Pimentel, de Murutinga do Sul, disse que vai contratar uma empresa em caráter emergencial para encaminhar o lixo a um aterro particular

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

14 Junho 2018 | 19h24

SOROCABA - O juiz da 1.a Vara Criminal de Andradina, Jamil Nakad Junior, mandou soltar nesta quinta-feira (14) o prefeito de Murutinga do Sul, Gilson Pimentel (PSDB), preso no dia anterior por ter mandado depositar o lixo da cidade num aterro interditado pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). 

Outros quatro servidores do município também foram libertados, mas todos vão responder a processo por crime ambiental. Pimentel alegou que, desde a interdição do aterro sanitário, no fim do ano passado, a cidade não tem onde colocar o lixo coletado nas ruas.

++ Onça-parda invade quintal de casa no interior de São Paulo

Após sair da prisão, ele disse que vai contratar uma empresa em caráter emergencial para encaminhar o lixo a um aterro particular. Segundo ele, essa medida ainda não foi tomada por causa da difícil situação financeira da prefeitura. 

A Cetesb informou que o aterro em valas de Murutinga do Sul foi interditado no dia 13 de dezembro do ano passado. A prefeitura foi notificada para mandar o lixo a outro aterro licenciado e com operação adequada, até o licenciamento ambiental de uma nova área para disposição dos resíduos no próprio município.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.