Justiça libera Marcha da Maconha no Rio

O juiz Alberto Fraga, do 4.º Juizado Especial Criminal, no Rio, concedeu habeas corpus preventivo para que manifestantes possam participar da Marcha da Maconha, no dia 7, sem serem presos. O habeas corpus está em nome de seis pessoas que ingressaram com a ação, mas é válido para todos os participantes do protesto. Para o juiz, o objetivo da marcha é discutir políticas públicas para drogas e defender a exclusão da maconha do rol de substâncias ilícitas, sem incentivar o uso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.