Instagram/Reprodução
Instagram/Reprodução

‘Justiça está longe de ser feita’, diz irmã de Rafael Miguel sobre prisão de Cupertino

Camilla Miguel relatou “ansiedade” e “taquicardia” ao revisitar memórias e imagens que não “gosta de ver”; Cupertino é acusado de triplo homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e sem possibilidade de defesa das vítimas

Leon Ferrari, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2022 | 12h55

A irmã do ator Rafael Henrique Miguel, Camilla Miguel disse não sentir “alegria” ou “alívio”, após a prisão de Paulo Cupertino na segunda-feira, 16. “Justiça está longe de ser feita, e mal sei o que vai acontecer daqui pra frente”, escreveu nas redes sociais. Cupertino é acusado de ter matado o jovem e os pais dele, João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50, em 2019. 

“Não crio expectativas, porque passei 3 anos me frustando e tendo quase nenhuma notícia de nada”, desabafou Camilla. “No máximo, sinto a eterna ansiedade e taquicardia de revisitar memórias e ver imagens que eu não gosto de ver.”

Cupertino não aceitava o relacionamento do jovem com a filha dele, Isabela Tibcherani, que tinha 18 anos. A família foi assassinada em frente à residência da namorada do ator. Eles tinham ido tentar convencer o pai da jovem de que Rafael tinha boas intenções.  

Acusado de triplo homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e sem possibilidade de defesa das vítimas, Cupertino liderava a lista das pessoas mais procuradas de São Paulo. "Matou gente em São Paulo, a gente pega", disse o secretário de Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, à Rádio Eldorado.

Camilla destacou que não quer ficar pensando em “outros”, em referência a Cupertino, que descreveu como “ruim” e “destruidor”. “Muita coisa já foi destruída com isso, o que me resta eu vou fortalecer ao máximo.”

Ela destacou que quer fazer de tudo para prover segurança e conforto aos filhos e à irmã, que tinha 13 anos quando o crime ocorreu. “Eu quero proteger e levar minha família longe, deixar ela viver sem definir quem somos e quem seremos pela crueldade do outro, e sim nos definir pelo legado que meus pais e meu irmão deixaram pelos anos que convivemos juntos. É o que eu julgo que merecemos, seguir e sermos felizes e ficarmos em segurança.”

Ela agradeceu pelas mensagens de apoio que recebeu. E destacou que o perfil no Instagram voltaria novamente à “programação ‘normal’ de um cotidiano normal de uma família cheia de amor”. “Porque onde destruíram, brotou uma muda que cresce a cada dia: a das nossas vidas.”

Namorada 

Também nas redes sociais, Isabela se manifestou sobre a prisão do pai. A jovem agradeceu as mensagens de apoio. "É uma mistura muito grande de sentimentos e agora preciso de espaço". 

“A justiça de Deus não falha. Mais uma fase para superar, dessa vez, com a cabeça erguida e sem me abater”, escreveu cerca de 2h após a primeira mensagem. “Cheguei até aqui com garra e vou permanecer assim.”

À época do crime, a filha de Cupertino pediu por justiça e pela prisão do pai. Um mês após o triplo homicídio, ela desabafou sobre ter medo e sentir culpa pelo sofrimento causado à família do ator./COLABOROU ITALO COSME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.