Justiça determina remoção imediata de moradores do Cingapura

Prefeitura deve realocar 2.800 pessoas que vivem no conjunto habitacional da zona norte da cidade

estadão.com.br,

10 Outubro 2011 | 12h56

A 10ª Vara da fazenda Pública de São Paulo determinou a interdição do Cingapura Zachi Narchi e a remoção de imediata dos moradores,que devem ser instalados em local adequado.

O conjunto habitacional que tem 140 apartamentos e cerca de 2.800 moradores fica localizado próximo ao Shopping Center Norte e também tem risco potencial de explosão devido à existência de gás metano em seu subsolo, segundo laudo da Cetesb.

Para o juiz Valentino Aparecido de Andrade "trata-se, sem dúvida, de uma medida extrema essa de interdição e remoção dos moradores, mas ela é a única que pode eficazmente controlar a situação de risco a que essas pessoas estão submetidas, exigindo-se a intervenção do Poder Judiciário".

O retorno dos moradores só será autorizado, diz a decisão judicial, após resultado de monitoramento que mostre índices de concentração de metano que permitam a desinterdição.

Mais conteúdo sobre:
cingapura explosão metano remoção

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.