Beto Vaz.
Beto Vaz.

Justiça decreta prisão de suspeito ligado a sumiço de garota no interior de São Paulo

Suspeito diz que menina de 12 anos natural de Araçariguama teria sido levada por engano por traficantes para cobrança de uma dívida. Sigilo foi decretado nas investigações

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

15 Junho 2018 | 22h15

SOROCABA – A Justiça decretou no fim da tarde desta sexta-feira, 15, a prisão temporária de um homem suspeito de ter participação no desaparecimento da menina Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, que aconteceu há uma semana, em Araçariguama, interior de São Paulo. Também foi decretado o sigilo nas investigações. O suspeito é um servente de pedreiro e contou ter estado num carro, na companhia de Vitória e de um casal. Os três teriam levado Vitória até Mairinque, cidade vizinha, mas o homem entrou em contradições.

+ Araçariguama se mobiliza em buscas pela menina Vitória Gabrielly

Conforme a Polícia Civil, a prisão do suspeito tornou-se necessária para aprofundar a investigação. O suspeito é usuário de drogas e, conforme sua versão, a menina teria sido levado por engano por supostos traficantes para recebimento de dívidas com entorpecentes. O casal foi ouvido e liberado. Inicialmente, a polícia pediria também a prisão do casal, mas optou por deter apenas o servente. Com a decretação do sigilo, a polícia não deu mais informações sobre a investigação. À noite, era aguardada a apresentação do suspeito, acompanhado de advogado.

A menina Vitória desapareceu depois de avisar a família que iria até a escola, no bairro onde mora, para andar de patins. Uma câmera de monitoramento gravou as últimas imagens da garota caminhando, de patins, em direção ao estabelecimento. A garotinha não voltou para casa e os pais procuraram a polícia. Buscas exaustivas foram realizadas em toda a região, sem sucesso. Além da polícia, a população da cidade, de 17 mil habitantes, está mobilizada em busca de Vitória.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.