Justiça de SP mantém bloqueio de bens de dono do Porsche

Medida visa garantir cumprimento de possível ação de danos morais ajuizada pela família da vítima

João Paulo Carvalho , estadão.com.br

22 de agosto de 2011 | 15h47

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) manteve o bloqueio de bens do engenheiro Marcelo Malvio Alves de Lima, 36, motorista do Porsche que se chocou com o carro da advogada Carolina Menezes Cintra Santos, 28, na zona sul de São Paulo, no dia 9 de julho.

 

Os bens do engenheiro foram indisponibilizados pela juíza Margot Chrysostomo Correa, da 5ª Vara Cível, no dia 21 de julho. A medida pretende garantir o cumprimento de uma futura ação de danos morais ajuizada pela família da vítima. O advogado de Lima, Antonio Carlos Muniz, recorreu, sem sucesso, de acordo com a decisão publicada nesta segunda-feira.

 

O acidente aconteceu na região do Itaim bibi, na zona sul de São Paulo, no dia 9 de julho. O Porsche do engenheiro se chocou com a Tucson da advogada, que morreu na hora.

 

Marcelo teve mandado de prisão expedido pela Justiça, mas pagou fiança estabelecida em R$ 300 mil antes de receber alta do hospital em que ficou internado após o acidente. O engenheiro responderá ao processo em liberdade.

 

Em depoimento no dia 21 de julho, Lima disse que se assustou com uma pessoa que apareceu ao seu lado e acelerou temendo ser assaltado. Segundo depoimentos, a velocidade do Porsche era de mais de 150 km/h, mas ele disse que estava um pouco acima de 60 km/h. Lima foi indiciado por homicídio doloso - quando há intenção de matar.

Tudo o que sabemos sobre:
porscheengenheiroacidenteitaim

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.