Valéria Gonçalvez/AE-25/08/2009
Valéria Gonçalvez/AE-25/08/2009

Justiça de São Paulo adia julgamento de Gil Rugai

Ex-seminarista é acusado de matar o pai e a madrasta em 2004, após uma briga sobre a administração da empresa da família

estadão.com.br,

30 Novembro 2011 | 19h38

SÃO PAULO - A Justiça de São Paulo adiou para março de 2012 o julgamento do ex-seminarista Gil Rugai, acusado de matar o pai, Luis Carlos Rugai, e a madrasta, Alessandra de Fátima Troitino, em 2004.

O julgamento, previsto inicialmente para o próximo dia 12, foi adiado a pedido do Ministério Público, em decorrência do impedimento temporário de uma perita do Instituto de Criminalística (IC). A perita responsável pelo exame de DNA para confrontar amostras de sangue colhidas no local dos fatos disse que a análise ainda não foi realizada.

Hoje, o juiz Emanuel Brandão Filho, do 5º Tribunal do Júri, disse em sua decisão que a perita designada sofreu acidente de trabalho às vésperas da realização da perícia agendada para o dia 11 de novembro e acabou hospitalizada.

As vítimas foram assassinadas no dia 28 de março de 2004, no interior da casa onde moravam no bairro de Perdizes, na zona oeste da capital. De acordo com o Ministério Público, responsável pela denúncia, o estudante assassinou os dois após uma briga sobre a administração da empresa da família.

O julgamento de Gil Rugai será realizado em 26 de março de 2012, a partir das 10 horas, no Plenário 10 do Fórum Criminal da Barra Funda, na zona oeste da capital paulista.

Mais conteúdo sobre:
gil rugai julgamento justiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.