Reprodução/Globo
Reprodução/Globo

Justiça condena Lírio Parisotto por agredir Luiza Brunet

Empresário foi condenado a um ano detenção em regime aberto e também será obrigado a prestar serviço comunitário

Alexandre Hisayasu e Felipe Resk, O Estado de S.Paulo

05 Junho 2017 | 20h22

SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) condenou nesta segunda-feira, 5, o empresário Lírio Parisotto a um ano de detenção em regime aberto, por agredir a modelo e ex-namorada Luiza Brunet em maio de 2016. 

A decisão é da juíza Elaine Cristina Monteiro Cavalcanti, juíza titular da Vara Central de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher. A Justiça também determinou que Parisotto deve ficar sob vigilância pelo prazo de dois anos, além de prestar serviço à comunidade durante 12 messes. 

O advogado de Luiza Brunet, Pedro Fonseca Neto, informou que a atriz está "tranquila, serena e feliz" com a decisão da Justiça. Segundo ele, Brunet tem consciência de que "fez o que tinha que fazer: dar voz à verdade".

O defensor afirmou que a legislação ainda é branda em relação aos crimes de violência doméstica e a sentença, inicialmente, aplicou a pena prevista por lei. Neto vai avaliar se entrará com recurso para aumentar a sentença.

Em nota, o advogado de Lírio Parisotto, Celso Vilardi, afirma que vai recorrer da decisão.  "Das três acusações inverídicas feitas por Luiza Brunet, duas já foram afastadas pelo Poder Judiciário, e a última será objeto de recurso ao tribunal competente que, certamente, fará justiça e absolverá Lírio Parisotto", diz o comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.