Justiça bloqueia bens de organizadores de rodeio de Jaguariúna

Medida visa garantir indenização para quem comprou ingressos para shows de Victor e Léo e Roberto Carlos

Tatiana Fávaro, O Estado de S. Paulo

28 Maio 2009 | 21h02

O Ministério Público do Estado de São Paulo obteve nesta quinta-feira, 28, uma liminar da Justiça que determina o bloqueio de valores das contas bancárias da Red Eventos e dos sócios da empresa responsável pela organização do Jaguariúna Rodeo Festival. O objetivo é garantir a indenização pelos danos materiais e morais das pessoas que adquiriram ingressos para os shows da dupla Victor e Léo e de Roberto Carlos, programados respectivamente para sábado e domingo passados e cancelados após quatro pessoas morrerem pisoteadas e outras 11 ficarem feridas em tumulto ocorrido no corredor de acesso à arena do evento, na madrugada do último sábado.

 

Veja também:

linkSaiba como fazer para trocar seu ingresso

 

O advogado do Jaguariúna Rodeo Festival, Haroldo Cardella, informou que as partes envolvidas ainda não receberam a notificação e, assim que forem notificadas, estudarão medidas judiciais cabíveis.O bloqueio foi pedido pela promotora Kelli Giovanna Altieri Arantes, em ação civil pública ajuizada na segunda-feira, 25. A promotora pede a condenação dos organizadores do rodeio à reparação de danos individuais patrimoniais e danos morais, no valor de R$ 3 milhões. A multa prevista para o não-cumprimento da liminar é de R$ 100 mil ao dia.

 

Nesta quinta-feira, a Polícia Civil realizou no local do evento a reconstituição do tumulto, com apoio de vítimas levemente feridas, dois peritos, um desenhista e um fotógrafo, integrantes do Instituto de Criminalística. Segundo informou o delegado de Jaguariúna, Ruy Prado Marcondes, até agora nove vítimas foram ouvidas. Dessas, duas disseram que os portões do acesso estavam fechados na hora do tumulto. O delegado disse que vai aguardar o resultado do laudo da perícia, com detalhes enriquecidos pela reconstituição, previsto para sair em no mínimo 30 dias.

 

Além da indicação feita por testemunhas, de locais em que houve bloqueio durante o tumulto, os peritos conseguiram fazer medições que podem ajudar na análise técnica, segundo informou o delegado. Outras 13 testemunhas serão ouvidas na próxima semana, entre pessoas que ficaram feridas ou estavam no local. Marcondes informou que imagens do circuito interno de câmeras foram solicitadas à organização do evento, que defende a hipótese do tumulto ter começado com uma briga. Até agora, a Polícia Civil não recebeu essas imagens.

Mais conteúdo sobre:
Jaguariúna Rodeo Festival

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.