Justiça autoriza saída de Suzane von Richthofen da prisão para a Páscoa

Juiz havia negado permissão para saída temporária de Natal e pedido da defesa para que ela cursasse Administração em uma faculdade particular de Taubaté

GERSON MONTEIRO, ESPECIAL PARA O ESTADO

11 Março 2016 | 15h46

TAUBATÉ (SP) - Depois de 14 anos na prisão, Suzane von Richthofen deve deixar pela primeira vez a penitenciária onde cumpre pena, na tarde desta sexta-feira, 11. A Justiça concedeu a autorização para a saída temporária de Páscoa à presa condenada a 39 anos de prisão por matar os pais. É a primeira vez que ela consegue o benefício.

Presa desde 2002, ela conseguiu passar do regime fechado para o semiaberto em outubro de 2015. Em dezembro, a juíza da Vara de Execuções Criminais (VEC) de Taubaté (SP), Sueli Zeraik Armani, negou o pedido de saída temporária de Natal, após parecer do Ministério Público ter apontado um endereço desconhecido do seu círculo de amizades.

No mês passado, a Justiça negou o pedido de Suzane para deixar a prisão para cursar Administração em uma faculdade particular de Taubaté, questionando a segurança da detenta fora do presídio.

Suzane foi condenada por matar os pais em 2002, ao lado dos irmãos Cravinhos, que estão no regime semiaberto desde 2013 e já usufruem do benefício de saídas temporárias de Dias das Mães, Dia dos Pais e Dia das Crianças, além das festas de fim de ano.

 

Mais conteúdo sobre:
TAUBATÉ Justiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.