Justiça apura denúncia de presos que pagam por tranferência

Reportagem do 'Estadão' aponta detentos pagariam para serem levados para presídios menos rigosos em SP

Chico Siqueira, O Estado de S.Paulo

18 de novembro de 2008 | 18h06

A Justiça abriu procedimento interno para apurar a denúncia publicada pelo jornal O Estado de S. Paulo de que presos estariam pagando R$ 20 mil para serem transferidos para penitenciárias da Vara de Execução Criminal (VEC) de Tupã, onde o juiz Gerdinaldo Quichaba Costa estaria livrando de penalidade os presos portadores e usuários de drogas.   Veja também: Juiz absolve uso de drogas na cadeia Preso do PCC quer ir para Tupã   O procedimento, que corre em segredo de Justiça, foi aberto pelo próprio Costa, diretor da VEC de Tupã, que se baseou na reportagem publicada no dia 7 de novembro, a qual relata que o diretor da penitenciária Compacta de Pracinha, Wellington Ricardo Lima, teria informações de que uma advogada ligada ao Primeiro Comando da Capital (PCC) estaria cobrando R$ 20 mil para transferir dois detentos de Presidente Prudente para a região de Tupã, onde a disciplina seria mais amena. Além de Lima, outros diretores de penitenciárias daquela região e advogados deverão ser ouvidos na apuração.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.