Justiça aposta em centro de conciliação para aliviar varas

Há um ano foi criado o Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusp), com o objetivo de desafogar os juizados especiais e a Justiça comum.

O Estado de S.Paulo

12 Setembro 2012 | 03h05

As informações são colhidas de forma simples. E quem negocia com as partes não é exatamente um juiz, mas um mediador com formação em conciliação.

"Quando o autor dá entrada no pedido, a reunião é marcada para 30 dias", diz Ricardo Pereira, de 44 anos, juiz coordenador do Cejusp central. "O objetivo é incentivar as partes a chegar a um acordo. Elas são convidadas a propor uma solução para resolver o litígio. Isso equivale a uma sentença de fato."

O Estado de São Paulo já tem 40 Cejusps. Apenas dois funcionam na capital - nos Fóruns da Barra Funda e de São Miguel Paulista. No início do ano devem ser abertos mais dois. / V.F.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.