Justiça anula expulsão de líder da greve da PM

Apontado como principal líder da greve da PM na Bahia, em fevereiro, o ex-soldado Marco Prisco teve anulado, na noite de anteontem, o ato administrativo que resultou na sua expulsão, em 2002 - ele era acusado de ser um dos líderes de uma greve em 2001. Segundo a Procuradoria-Geral do Estado, que vai recorrer da decisão judicial, Prisco não será reintegrado por enquanto. Na paralisação deste ano, ele liderou a ocupação da Assembleia Legislativa, só liberada após cerco do Exército. Foi detido e ficou 44 dias preso.

O Estado de S.Paulo

31 Março 2012 | 03h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.