Justiça agora aceita e-mails e torpedos como provas

Muitos agressores não são presos por falta de provas. Apesar de violentos, a maioria sustenta a família e tem boa reputação no trabalho, na vizinhança e entre os próprios parentes. "Esse é o maior impedimento. Muitas pessoas simplesmente não acreditam que a violência acontece e, por isso, se negam a testemunhar em favor da vítima. O problema aumenta quando a mulher acusa e volta atrás, o que é bastante comum", disse a promotora de Justiça Valéria Scarance.

O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2012 | 03h04

Nesses casos, passaram a ser aceitas pela Justiça provas alternativas, como e-mails, torpedos e gravações de celular. "Atendemos uma adolescente que só convenceu a família de que era violentada pelo pai após gravar a agressão com o celular", afirmou Valéria. / A.F. e J.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.