Justiça absolve ex-vereadora e mais dois acusados de corrupção

A Justiça absolveu a ex-vereadora Myriam Athiê no processo em que ela era acusada de corrupção passiva. Segundo denúncia do Ministério Público Estadual, em janeiro de 2003, "na função de vereadora" ela teria recebido R$ 250 mil para interceder na SPTrans em favor de uma empresa de ônibus que estava sob intervenção municipal, gestão Marta Suplicy (PT).

Fausto Macedo, O Estado de S.Paulo

11 Julho 2011 | 00h00

Em sentença de 25 páginas, o juiz Jarbas Luiz dos Santos, da 14.ª Vara Criminal da Capital, julgou improcedente a ação penal contra Myriam e outros dois réus, Milton Sérgio Júnior, ex-chefe de gabinete da então vereadora , e o advogado Jorge Kengo Fukuda, também absolvidos.

Para os advogados da ex-vereadora, José Luis Oliveira Lima e Rodrigo Dall''Acqua, "essa decisão do Poder Judiciário restabelece a verdade e comprova a lisura que a vereadora sempre teve no exercício do seu mandato".

Para Jarbas Luiz dos Santos "os depoimentos que imputaram fatos criminosos (à ex-vereadora e aos demais acusados) são eivados de contradições e suspeitas, sobretudo porque prestados por pessoas que também foram rés pelos mesmos fatos ou fatos correlatos". Ele destacou que "restou comprovada animosidade entre a ré e os principais delatores em juízo". O Ministério Público pode recorrer da decisão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.