Júri absolve mulher que ateou fogo ao marido em Marília

O tribunal do Júri de Marilia, no interior de São Paulo, absolveu a dona-de-casa Márcia Regina Trecente, de 36 anos, da acusação de tentativa de homicídio qualificado. Ela foi presa em flagrante em abril do ano passado depois de jogar gasolina e atear fogo à cama onde dormia o seu companheiro, Marcelo Luiz de Souza, de 29 anos.Márcia e Marcelo estavam vivendo juntos há cinco meses, numa casa do bairro Nova Marilia, na zona sul da cidade. Na madrugada do dia 30 de abril de 2006, ela chegou em casa acompanhada da filha e encontrou Marcelo com outra mulher. Ela discutiu por aproximadamente uma hora com o companheiro e mandou que ele fosse embora de casa. Porém, ela acabou concordando que ele ficasse até amanhecer o dia.   Revoltada com o ocorrido, foi até a moto da vítima, cortou a mangueira de combustível e retirou a gasolina que usou para espalhar na cama e atear fogo.Marcelo passou alguns dias internado. Márcia esteve presa e o processo tramitou. O Ministério Público pedia sua condenação por tentativa de homicídio agravada por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Mas a defesa conseguiu convencer os jurados de que a mulher não tinha a intenção de matar o companheiro pois não jogou a gasolina diretamente em seu corpo e nem usou contra ele a faca com que cortou a mangueira da moto.   Desclassificada a tentativa de homicídio, Márcia acabou condenada a cumprir 2 anos e oito meses em regime aberto, por lesão corporal dolosa. Ela saiu direto do fórum para sua casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.