Julgamento da TAM: piloto confirma ter feito 'relatório de perigo'

Ribeiro, que pousou um Airbus A320, semelhante ao que se acidentou, no Aeroporto de Congonhas um dia antes da tragédia relatou dificuldades em frear avião

Tiago Dantas, O Estado de S. Paulo

08 de agosto de 2013 | 15h15

Atualizado às 17h06.

SÃO PAULO - Piloto da TAM desde 2006, João Batista Ribeiro depôs por cerca de 1h20 na 8ª Vara Criminal da Justiça Federal no segundo dia do julgamento que apura quem foi responsável pelo acidente do voo JJ 3054 em 17 de julho de 2007, quando 199 pessoas morreram. Ribeiro pousou um Airbus A320, semelhante ao que se acidentou, no Aeroporto de Congonhas um dia antes da tragédia. Ele afirmou que chovia em São Paulo e que a pista estava escorregadia. O piloto relatou dificuldades de frear o avião, devido à aquaplanagem. Ele confirmou à Justiça que fez o chamado "relatório de perigo" e o encaminhou à diretoria de segurança da TAM.

A outra testemunha prevista para esta terça-feira é Elias Azem Filho, que, na época, era copiloto da TAM. Azem Filho deve confirmar as declarações dadas, nessa quarta-feira, 7, pelo também piloto José Eduardo Batalha Brosco. O piloto afirmou que a pista de Congonhas não oferecia segurança para pousos de aeronaves, principalmente em dias de chuva. Brosco e Azem Filho pilotaram o avião que se acidentou um dia antes da tragédia.

 

Tudo o que sabemos sobre:
Tamvoo 3054,

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.