Juíza é acusada de tentar extorquir R$ 1,5 milhão

Em depoimento a representantes do Ministério Público Estadual, da OAB-MG, da Ouvidoria de Polícia e de deputados de Minas, a dentista Ingrid Calheiros Oliveira, noiva de Bruno Fernandes, acusou a juíza Maria José Starling e o advogado Robson Martins Pinheiro de tentar extorquir R$ 1,5 milhão para colocar o goleiro em liberdade. Bruno está preso desde julho de 2010, acusado do sequestro e da morte da ex-amante Eliza Samudio. Advogados da juíza e Pinheiro, que já defendeu Bruno, negaram a acusação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.