Juiz Maurício Fossen é pai dedicado e frequenta igreja católica

Nascido em Jundiaí-SP, formou-se em Direito PUC-SP em 1990; sempre foi muito estudioso, ético e religioso - segundo pai, ele frequenta igreja católica com a família

Tatiana Fávaro, de O Estado de São Paulo

22 Março 2010 | 14h20

CAMPINAS - O juiz Maurício Fossen, de 40 anos, é nascido em Jundiaí, interior de São Paulo. Formou-se em Direito pela Pontifícia Universidade de São Paulo (PUC-SP) em 1990. É filho do ex-prefeito de Jundiaí, Ary Fossen, e de Maria Alice Fossen. Após formar-se, aos 22 anos, passou dois anos atuando como advogado em São Paulo e preparando-se para prestar concurso público.

 

 

linkAcompanhe em tempo real primeiro dia de julgamento do caso Isabella

especialEntenda como será o julgamento do caso

linkConfira o histórico do caso de Isabela Nardoni

linkProva técnica será decisiva no júri

linkDefesa aposta em depoimento de casal

 

Maurício Fossen iniciou sua carreira na magistratura aos 24 anos. Passou por comarcas de Cordeirópolis, Limeira e Pirassununga, até assumir cargo na Vara da Fazenda, em São Paulo, e posteriormente, ocupar a cadeira no 2º Tribunal do Júri de São Paulo, no Fórum de Santana.

 

De acordo com pessoas próximas ao juiz, ele sempre foi muito estudioso, ético e religioso - segundo o pai, ele frequenta a igreja católica com a família. Casado há 15 anos e pai de dois filhos, com 10 e 5 anos, Fossen é considerado pai e filho participativo, apesar da rotina difícil. "Ele é muito amoroso, muito família. Quando um dos três cachorros que ele tem morreu, ele até chorou junto com os filhos", disse o ex-prefeito Ary Fossen. "É muito próximo e presente, e também é muito ético profissionalmente e não comenta os assuntos de trabalho", afirmou o pai.

 

Ary Fossen diz que ele e sua mulher, Maria Alice, têm a "preocupação normal de pais" ao saber da exposição do filho em um caso de repercussão como o julgamento de Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá. "O que nos tranquiliza é ter a certeza de que o Maurício é muito equilibrado. E isso não é só conversa de pai, é baseado em opiniões de gente importante, por quem ele já foi muito elogiado."

Mais conteúdo sobre:
caso Isabela casal Nardoni julgamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.