Juiz briga na frente de distrito policial

Ele acabou sendo acusado por desacato e embriaguez; magistrado nega todas as acusações

CAMILLA HADDAD , JORNAL DA TARDE, O Estado de S.Paulo

12 Outubro 2011 | 03h03

Um juiz de 57 anos é averiguado pela polícia por suspeita de desacato, desobediência e ameaça e por dirigir sem carteira de habilitação e embriagado em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Na noite de anteontem, o magistrado Francisco Orlando de Souza, da Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de São Paulo, se envolveu em uma briga de trânsito na Avenida Armando Italo Setti, na frente do 1.º Distrito Policial. Segundo os investigadores, o juiz estava aos berros, parecia agressivo e esmurrava o vidro de um carro. Ele negou todas as acusações.

Policiais que estavam de plantão no DP ouviram buzinas por volta das 22 horas. Foram até a rua e teriam visto o juiz alterado e o motorista acuado dentro do carro. Todos foram para a delegacia, após ordem do delegado.

Nesse momento, segundo policiais, o juiz respondeu: "Você não grita assim comigo, não!". Em outro momento, teria dito: "Eu sou juiz! Isso não vai ficar assim, não!". As declarações estão no boletim de ocorrência registrado por desacato, desobediência, ameaça, dirigir sem habilitação, embriaguez ao volante, difamação e também injúria.

Resposta. Procurado, o magistrado paulista disse à reportagem que só tinha saído para comprar colírio. Ao fazer uma conversão, o carro de trás passou a buzinar e a fechá-lo na sequência. "Aquilo me irritou um pouco e quando parei dei um murro no vidro dele, mas eu não tinha bebido e é claro que tenho habilitação", diz. "Eu me identifiquei como juiz sem dar carteirada e o delegado disse: 'Ah, você é o que solta os bandidos que a gente prende'. Esses policiais estavam despreparados."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.