Juiz baleado com filho e enteada durante blitz cogita processar polícia

O juiz Marcelo Alexandrino, baleado por policiais civis durante blitz no dia 2, no Rio, deixou ontem o hospital e afirmou que deverá entrar com medida judicial contra a polícia. "Vamos estudar esta medida", disse. Ele ressalvou, no entanto, que sua prioridade é a recuperação do filho e da enteada, também baleados, que continuam internados. O menino, de 11 anos, teve perfuração nos pulmões e a menina, de 8, foi atingida por uma bala que atravessou estômago, fígado e pulmão. Ambos não correm risco de morte. O juiz disse que tentou desviar da blitz por achar que era falsa, já que, segundo ele, os policiais não estavam identificados. Os policiais, que estão presos, alegaram que não tiveram treinamento adequado para usar armas, mas a versão foi contestada pela Polícia Civil.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.