Jovem tem filha em dia de manifestação na casa do prefeito

No fim do ano passado, quando a luz da ocupação no Cine Marrocos foi cortada, Jéssica Alves de Jesus, de 22 anos, não seguiu as recomendações médicas para não participar mais de protestos. Grávida de 40 semanas, ela encabeçou um grupo do Movimento dos Sem Teto do Sacomã (MTST) que resolveu acampar na frente da casa do prefeito Fernando Haddad (PT) no Paraíso, na zona sul.

O Estado de S.Paulo

08 de junho de 2014 | 02h01

Três horas depois do protesto ter início, por volta das 23 horas do dia 9 de dezembro, ela começou a sentir as primeiras contrações. Ainda tentou ficar um pouco mais na manifestação. Ana Sophie, hoje com seis meses, nasceu a caminho do Hospital Oswaldo Cruz. Mãe e filha moram em um dos melhores cômodos do Cine Marrocos.

Jéssica diz que já voltou a ir aos protestos e quer ajudar a pressionar os vereadores nesta semana. "Eu morava em Heliópolis, o aluguel estava muito caro. Eram R$ 500, fora água e luz. Não conseguia mais pagar."

Outro jovem casal que fugiu do aluguel caro de Heliópolis, Magno da Silva, de 22 anos, e Abigail Alves, de 17, também quer pressionar a Câmara, que deve votar o Plano Diretor. "Esse pessoal só trabalha na base da pressão", diz Abigail. / D.Z.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.