Jovem se passa por refém, mas é presa após assalto em Embu

Cinco bandidos dominaram sete funcionários e obrigaram as vítimas a levá-los até o cofre do supermercado

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

08 de outubro de 2008 | 03h33

Uma jovem de 22 anos foi presa, por volta das 21 horas de terça-feira, 7, ao participar de um assalto a uma loja do supermercado Comprebem, na Rua Boa Vista, no centro de Embu-Guaçu, na Grande São Paulo. Ela tentou se disfarçar de refém para conseguir escapar. Sete funcionários foram dominados por cinco bandidos, sendo três mulheres e dois homens, que obrigaram as vítimas a levá-los até o cofre do estabelecimento. Não havia clientes naquele momento no estabelecimento. Um policial civil, que foi até o supermercado para buscar a namorada, funcionária da loja, percebeu o assalto e pediu auxílio a dois guardas municipais que passavam pelo local. Policiais militares também foram acionados pelo civil, mas antes que a PM chegasse, houve uma rápida troca de tiros. Quatro bandidos conseguiram fugir pelos fundos e seguem foragidos. Não houve feridos. A assaltante Gisele Almeida Mendonça, de 22 anos, a exemplo das duas colegas comparsas, tentou se passar por refém para despistar o policial e os guardas e assim tentar a fuga, mas não teve tempo. Os criminosos deixaram para trás dois veículos, um Corsa Wind, pertencente ao tio de Gisele, e um Pálio, de propriedade de um dos assaltantes que fugiram. No momento em que os policiais militares chegaram, o policial civil e os guardas ainda conversavam com as vítimas sem perceber que Gisele na verdade havia participado do assalto. "Os policiais começaram a conversar com ela e em meio a contradições perceberam que se tratava de uma assaltante", afirmou a delegada Bruna Racca Madureira. Nenhuma arma foi apreendida. O cofre chegou a ser aberto. O valor levado pela quadrilha ainda será apurado pelos representantes do supermercado, que farão o registro do dinheiro roubado somente no decorrer desta quarta-feira. Segundo a delegada, que indiciou Gisele por roubo e formação de quadrilha, a jovem antes desse roubou ainda não tinha passagem pela polícia. O caso foi registrado na delegacia central de Embu-Guaçu.

Tudo o que sabemos sobre:
Embuassaltosupermercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.