Jovem morre baleado por advogado após brincadeira no WhatsApp

Os dois eram amigos, mas discutiram durante uma troca de mensagens pelo aplicativo do celular

Rene Moreira, Especial para o Estado

26 de setembro de 2015 | 12h18

Um jovem de 24 anos foi morto após ser baleado no olho por um advogado de 34 anos em Varginha, no Sul de Minas Gerais, após uma brincadeira por WhatsApp, aplicativo de troca de mensagens pelo celular. Jhonatan Cândido Bernardes Bueno chegou a ficar internado e teve morte cerebral confirmada na noite desta sexta-feira, 25.

 

O advogado Clauber Antônio Cardoso, autor do disparo, apresentou-se à polícia, contou que os dois se conheciam há bastante tempo e confirmou ter atirado no amigo após se irritar durante troca de mensagens. Ele foi ouvido e liberado após o homicídio, que foi registrado na quinta-feira, 24.

 

O delegado Antônio Carlos Buttignon disse que o advogado foi liberado por ter se apresentado espontaneamente. O acusado ficou de procurar a arma, pois alega tê-la perdido após o crime. Ele contou à polícia estar arrependido e deverá responder ao inquérito em liberdade. Ele contou à polícia estar arrependido e deverá responder ao inquérito em liberdade.

 

Bernardes morreu baleado após ir com a namorada tirar satisfações na casa do amigo. Mensagens nos celulares dos dois indicam o que pode ter ocorrido. Em uma delas, momentos antes do crime, a vítima diz ao autor: "Eu estava levando na brincadeira... A hora que a gente se encontrar, vai trocar porrada...".

 

Em outra mensagem, o advogado responde: "Você é bom para falar nas costas, para brincar. Vem aqui na porta da minha casa." 


Tudo o que sabemos sobre:
WhatsApp

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.