Governo de São Paulo/Divulgação
Governo de São Paulo/Divulgação

Jovem é morta pelo marido preso durante visita íntima em CDP de Jundiaí

Mulher de 22 anos chegou a ser socorrida a um hospital da cidade, mas não resistiu aos ferimentos

José Maria Tomazela, O Estado de S.Paulo

28 de janeiro de 2019 | 17h39

SOROCABA – Uma jovem de 22 anos foi assassinada pelo marido durante visita íntima, neste domingo (27), no interior do Centro de Detenção Provisória (CDP), de Jundiaí, interior de São Paulo. A mulher, Nicolly Guimarães Sapucci, foi derrubada do beliche e agredida com vários chutes no rosto.

À polícia, o agressor assumiu o crime e disse ter sido motivado por ciúmes. Ela chegou a ser socorrida e levada a um hospital da cidade, mas não resistiu. Conforme a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP), o autor do feminicídio, Michael Denis Freitas, de 25 anos, foi autuado em flagrante e continuará preso.

De acordo com boletim registrado na Polícia Civil, a jovem morava em Bragança Paulista e vivia com Freitas desde agosto de 2017. No ano passado, ele foi preso após ser acusado de roubo. No dia do crime, os dois estavam na cela reservada para visitas íntimas, quando teriam começado a discutir. O acusado teria empurrado a mulher para fora do beliche e, já no chão, desferido chutes em seu rosto.

Conforme a SAP, por volta das 15h50, perto do término do horário da visitação, o agente que conduzia os visitantes para fora do pavilhão percebeu que a mulher não havia saído da cela onde acontecia a visita íntima. Nesse momento, alguns detentos solicitaram socorro, alegando que uma visitante teria sofrido um acidente na cela. Os agentes encontraram a jovem com hematomas e inconsciente. 

Ela foi levada para o Hospital São Vicente, mas não se recuperou e acabou morrendo por volta das 20h40. No hospital, segundo a SAP, foi constatado que ela sofreu traumatismo craniano. Encaminhado à delegacia da Polícia Civil, o preso assumiu as agressões, resultantes de uma briga motivada por ciúmes. Ela relatou à polícia que derrubou a mulher da cama e a agrediu com socos e pontapés. 

A pasta informou ter sido aberto um procedimento disciplinar e preliminar para apuração dos fatos. O preso foi isolado preventivamente em cela disciplinar e será pedida ao juiz local sua internação em regime disciplinar diferenciado. Segundo a SAP, a mulher era cadastrada no rol de visitas ao preso desde maio do ano passado e realizava visitas regulares.

Na página que ela mantinha em rede social, Nicolly relatou que o marido era muito ciumento e havia brigas, mas que no final “tudo acaba em muito amor”. Em outra postagem, ela declarou seu amor ao parceiro e disse que ficaria com ele até o fim. “Troquei as maquiagens pelas lágrimas, o salto pelo chinelo, a balada pelo trabalho, as viagens pela visita. Troquei minha vida pela sua. To (sic) com você até o fim.”

Outro caso

Em Sarapuí, também no interior paulista, a diarista Cleonice de Oliveira Costa, de 41 anos, foi atropelada pelo ex-marido quando saía de casa para trabalhar, nesta segunda-feira, 28. Ao ver que ela ainda estava viva, o suspeito, Cristiano Mendes dos Anjos, desceu do carro e a golpeou com várias facadas. 

Em seguida, o homem foi para sua casa, no mesmo bairro, e tentou se matar, ferindo-se com a faca no abdômen. Ele foi levado para um hospital de Itapetininga e ficou sob escolta. Assim que receber alta, o homem será autuado por feminicídio. Conforme parentes da vítima, o ex não se conformava com a separação.

Mais conteúdo sobre:
feminicídiohomicídio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.