Jovem é espancado em danceteria

Dono de boate de Campos do Jordão está preso e vai responder por tortura, sequestro e ameaça; vítima teria perdido a comanda

GERSON MONTEIRO , ESPECIAL PARA O ESTADO , CAMPOS DO JORDÃO, O Estado de S.Paulo

14 de maio de 2012 | 03h04

Carlos Eduardo dos Santos, dono da casa noturna Duroc, no Capivari, em Campos do Jordão, a 181 km de São Paulo, foi preso ontem, acusado de espancar o cliente Alexis Casimiro, de 19 anos, pela perda da comanda de consumo. Santos acabou preso por tortura (crime inafiançável).

Antes de deixar a boate, por volta de 6h de ontem, Casimiro informou a gerência da boate que havia perdido a comanda e a carteira. Santos teria encaminhado o cliente para um banheiro e, com outros três seguranças, passou a agredir o rapaz com socos. Por causa da movimentação de clientes no banheiro, o dono do estabelecimento levou Casimiro para seu escritório, onde continuou a agressão, segundo informações da Polícia Civil de Campos do Jordão.

Casimiro só foi liberado depois que um amigo deixou os documentos como garantia de pagamento da comanda, avaliada em R$ 300. Assim que saiu da boate, Casimiro procurou uma delegacia localizada a 500 metros da casa noturna.

Santos e 12 seguranças foram encaminhados para prestar esclarecimentos. Durante o registro da ocorrência, Santos ameaçou o jovem, simulando um revólver em gestos com a mão. Acabou preso em flagrante pelos crimes de tortura, ameaça e sequestro e encaminhado para a cadeia pública de Guaratinguetá, no interior de São Paulo. Os seguranças negaram envolvimento nas agressões e serão ouvidos no processo de investigação.

Onda. Segundo o delegado Fernando Pato Xavier, o espancamento de clientes por perda da comanda de consumo tem sido comum em Campos do Jordão, crime que aumenta no inverno. "Seguranças dizem não ser mais seguranças, mas controladores de acesso. O dono nunca viu nada e as testemunhas se atemorizam." Para o delegado, é importante a denúncia de vítimas e testemunhas.

No ano passado, um jovem morreu após ser agredido por seguranças de um bar em Campos do Jordão, durante a temporada de inverno. Jogado para fora do estabelecimento, que fica do lado de um rio, o cliente bateu a cabeça nas pedras, chegou a ser socorrido, mas morreu ao dar entrada no hospital. A Polícia Civil ainda investiga o caso.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.