Jovem é esfaqueado em briga entre punks e skinheads no centro

Um homem também foi preso em flagrante por roubo e outros dois foram detidos por resistência e desobediência durante a confusão

Felipe Resk e Paula Felix, O Estado de S. Paulo

26 de outubro de 2014 | 16h10

SÃO PAULO - Um jovem de 22 anos foi ferido com quatro facadas na noite de sábado, 25, durante uma confusão entre punks e neonazistas no Viaduto 9 de Julho, na Consolação, na região central da capital. Após a ocorrência, uma briga com cerca de 40 integrantes dos dois grupos foi registrada nas imediações da Rua Augusta, também na região central. 

Um rapaz de 20 anos foi preso em flagrante por roubo e dois homens, de 26 e de 32 anos, foram detidos por desobediência e resistência. Segundo a polícia, por volta das 23h30, a vítima e uma amiga, uma estoquista de 22 anos, estavam perto de uma lanchonete quando apareceu o grupo de neonazistas. A jovem caiu e o rapaz tentou defendê-la dos agressores. Nesse momento, ele foi atingido por três golpes de faca nas costas e um no queixo. Ele foi levado para o pronto-socorro da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, onde, após ser socorrido, conversou com policiais e informou que conhecia o agressor apenas pelas redes sociais.

O jovem afirmou que o suspeito tinha a intenção de matá-lo. O autor das facadas não tinha sido identificado até o fim da tarde deste domingo, 26. Segundo a polícia, o grupo de neonazistas que fez o ataque é conhecido como Desordem OI.

Horas depois, por volta das 3 horas, policiais militares se depararam com um tumulto na Rua Dona Antônia de Queirós, esquina com a Augusta. De acordo com os policiais, havia cerca de 40 pessoas, entre punks e neonazistas, que estavam agindo “de forma agressiva”. 

Os PMs informaram que foram recebidos com hostilidade e o grupo chegou a jogar objetos na viatura policial. Sete pessoas foram levadas para o 78.º DP, nos Jardins, algumas para averiguação e dois homens por resistência. Havia dois adolescentes de 17 anos no grupo, segundo a polícia. Os detidos estavam com um canivete, uma corrente e uma jaqueta com pedras nos bolsos. O material foi apreendido e encaminhado para a perícia.

Quando os detidos estavam sendo apresentados na delegacia, um casal que se preparava para registrar um boletim de ocorrência reconheceu um deles como o autor de um roubo que sofreu momentos antes.

As vítimas - uma mulher de 35 anos e um vendedor de 34 - contaram que caminhavam na Rua Matias Aires, na esquina com a Rua Augusta, na região central, quando foram abordadas por um jovem de 20 anos, que estava armado com um revólver. O modelo da arma não foi divulgado. 

Ele teria levado dois celulares, cartões bancários e documentos do casal. O rapaz foi preso em flagrante. Os objetos pessoais do casal não estavam com ele no momento da prisão.

Os dois homens, um de 26 anos e outro de 32, que foram detidos por resistência e desobediência, assinaram um termo circunstanciado na delegacia e foram liberados. Os adolescentes não foram apreendidos, pois foram encaminhados à delegacia apenas para averiguação. Os casos foram registrados no 2.º DP, no Bom Retiro. O Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) deve ajudar nas investigações do caso do jovem esfaqueado.

Tudo o que sabemos sobre:
ViolênciaSão Pauloconsolacao

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.